Tenho um bebê de 24 dias e muitas dúvidas sobre tempo, alimentos e cólicas!

Olá, Amigas do Peito!

É ótimo saber que podemos contar com o apoio de vocês. Estou com dúvidas sobre a amamentação. Meu filhinho nasceu há 24 dias, de cesárea e tenho amamentado ele no peito exclusivamente. Para mim é tudo novidade quando trata-se de amamentação, apesar de ser mãe de “segunda” viagem (tenho uma filha de 8 anos, mas não pude amamentá-la).

A primeira pergunta é: Como todo bebê, o meu adora ficar no peito e por isso demora muito para largar o seio. Normalmente sou eu quem tiro, pois vejo que depois de uns 25 minutos de mamada, ele só usa o seio como chupeta. A fim de evitar as fissuras, eu tiro, pois começa a doer quando ele demora muito. Pergunto: em quanto tempo, em média, a amamentação é suficiente para garantir uma boa alimentação: 15, 20 ou 30 minutos? Li num livro, e também a pediatra me disse, que a criança mama praticamente tudo que precisa nos primeiros 15 minutos. É verdade? Outra coisa: devo oferecer os dois seios? Pergunto isso pois já obtive duas opiniões totalmente diferentes: a pediatra manda dar os dois, um 15 minutos e outro 10 minutos, no máximo. Outra médica disse que devo dar um seio em cada mamada, para que o bebê aproveite todo o potencial do leite. E agora?

A segunda pergunta é: Tenho tanto medo de comer certos alimentos e que eles façam mal ao bebê! Sinto-me triste por isso, pois sento na mesa e fico selecionando as coisas, temendo que vão dar cólica, diarréia, deixar agitado, etc e acabo nem comendo direito, passando vontade, me sentindo revoltada. A pediatra aconselhou-me a não comer carne de porco, condimentos e frutos do mar, os quais nem chego perto e até concordo que possam dar alergia! Os demais alimentos é para comer e observar se fazem mal ou não. Isso é tortura mesmo e me deixa ansiosa! Pergunto: Após comer alguma coisa “suspeita”, quanto tempo depois pode dar reação no bebê? Ou existe muito mito envolvido nisso? Gosto tanto de tomar um café de manhã e de tarde (uma xícara), mas evito (com raiva), pois acho que vai deixar o bebê agitado e sem dormir.

Caras amigas do peito, sou bem ansiosa, deu para notar não é? E sei que isso atrapalha e muito. Por isso, peço sua ajuda.

Muito obrigada.

A

Oi A,

Parabéns pelo bebê! Que bom que, mesmo com uma experiência anterior difícil, você está tentando fazer diferente. Isso é uma lição de vida para todas nós: a cada dia podermos nos transformar um pouco e aprender com as pessoas que estão à nossa volta.

Em relação ao tempo de mamada: nós, nas Amigas do Peito, nunca dizemos “faça isso, faça aquilo”… Acreditamos profundamente que cada família, cada bebê, cada mãe, são únicos. Confie na sua intuição e no diálogo com seu bebê para encontrar o caminho de vocês. É verdade: os estudos dizem que os bebês mamam a maior parte das suas necessidades nutricionais nos primeiros 5 minutos de mamada. No entanto, MUITOS bebês gostam de ficar até mais de uma hora mamando. O meu filho era assim! Eu sei o que você está passando.

Quando comecei a ficar muito cansada, resolvi conversar com ele e interromper a mamada depois de 20 minutos em cada peito. Mas isso não é uma regra!! Também é preciso levar em conta o estado geral da criança, da mãe etc. A sua pediatra tem razão quando diz que é melhor dar um peito intensivamente numa mamada para aproveitar todos os tipos de leite. Isso favorece a engorda e estimula a produção. No entanto, muitos bebês gostam de mamar por mais tempo. Nesse caso, não há problema nenhum em oferecer o outro peito (como eu disse, meu filho mamava nos dois, mas às vezes dormia depois do primeiro e eu aproveitava para descansar também).

Na mamada seguinte, comece pelo peito que ficou por último na anterior (se você. deu os dois). Se não, comece pelo peito que não amamentou ainda.

Mas dar de mamar não significa sentir dor! Existe uma sensibilidade normal nos mamilos no início mas, se você está sentindo dor, talvez seu bebê esteja com a “pega” errada. Dê uma olhada na nossa página, nas dicas sobre isso e nas fotos. O bebê deve abocanhar ao máximo a aréola para não machucar o bico.

Em relação aos alimentos: não há regras quanto a isso, embora o bom senso diga que a mãe deve evitar as comidas com potencial de causar infecções gastro-intestinais (principalmente se comidas em restaurantes). Porque isso causaria desidratação na mãe e poderia prejudicar a sua produção de leite etc. Mas isso é apenas uma precaução geral, que deve ser analisada caso a caso.

Em relação às cólicas, não existe consenso. Eu pessoalmente defendo que não há dietas contra cólicas. Conhecemos todos os tipos de casos: mãe que fez dieta, mãe que não fez, e bebês que têm e outros que não têm cólicas. Cólica na verdade é o processo de adaptação do bebê à vida! Só requer paciência e calma. A única solução mágica para cólicas é esperar o bebê fazer três/quatro meses!! Elas passam!

Sinceramente, não acho que sacrifícios desse tipo (como deixar o seu café) valham à pena… Quando se fala em evitar o café, é mais para aquelas pessoas que tomam café o dia inteiro. Use o seu bom-senso. Não existe bebê feliz e mãe infeliz. Acredito que a família toda deve encontrar uma harmonia, cedendo mas compreendendo no que for preciso.

Qualquer dúvida, escreva para gente. Um grande abraço,

Karina
Amigas do Peito


Queridas “Amigas do Peito”,

Desculpe a intimidade de chamá-las de “queridas”, mas as julgo assim, pois após receber resposta do meu “ansioso e-mail”, fiquei tão feliz, bem menos ansiosa, pois agora tenho a certeza de contar com vocês.

Muito obrigada mesmo!!

Sem dúvida, Karina, sempre que tiver dúvidas ou novidades, vou comunicar a vocês.

Continuem com esse maravilhoso trabalho!

Um abraço grande da,

A

Anúncios

Tags:


%d blogueiros gostam disto: