Imprensa – Campanha da Amamentação e Seu Bebê e Você – Alimentando o vínculo

ama_imprensa.jpg

AMAMENTAÇÃO NA IMPRENSA

Campanha da Amamentação e Seu Bebê e Você – Alimentando o vínculo

Revista Pais & Filhos (Agosto/2005).



Campanha Da Amamentação

Esse macacão é para quem defende a amamentação e faz questão de mostrar que o filho está gorducho graças ao leitinho da mamãe e só. As cores são modernas (a disponibilidade varia) e o modelo é básico, para aqueles dias mais quentes.

Aproveite que de 25 a 31 de agosto tem a Semana Mundial da Amamentação e todo mundo está falando do assunto para entrar na campanha a favor do aleitamento materno. De quebra, você ajuda um grupo bacana, o Amigas do Peito, que dá apoio às mães que querem abastecer os bebês com esse combustível.

Preço: R$ 20 (mais as despesas de envio).
Encomendas: tel. (21) 2285-7779 ou amigasdopeito@ amigasdopeito.org.br.
Site: http://www.amigasdopeito.org.br.
Enviadas pelo Correio a todo país

Seu Bebê e Você – Alimentando o Vínculo

Amamentar é importante. Mas, se você não puder, ainda é possível aproveitar o momento para estreitar os laços com seu filho

Na tradição indiana, o leite é a bebida e o primeiro alimento, que contém todos os outros em estado potencial. É símbolo da abundância, da fertilidade e também do conhecimento. Hoje as pesquisas confirmam o que a sabedoria dos antigos já dizia: amamentar aumenta a imunidade, diminui a ocorrência de alergias, até ajuda a desenvolver a inteligência… Mas, para além dos motivos científicos, é mais do que o leite. É um momento privilegiado de contato entre mãe e filho.

Nessa hora, todos os sentidos estão ligados: o bebê sente a textura de sua pele, o cheiro, olha para o seio e logo para quem está por trás dele, começa a perceber que fazem p arte de um todo que é você, a mãe, ouve a sua voz, faz mil barulhinhos… A comunicação é intensa, o que estreita ainda mais o vínculo entre você e seu filho. Tão intensa que pode assustar algumas mulheres, para as quais é difícil se imaginar tão grudada a alguém. Por serem tão prazerosas, as sensações que a criança, ao sugar o seio, provoca, podem gerar desconforto. Afinal, uma mamadeira que traz sensações sexuais pode ser muito estranho.

A psicóloga e psicoterapeuta corporal Eliana Pommé, mãe de Luana, Naila e Petrus, que trabalha com grupos de gestantes, procura conversar com as grávidas sobre as fantasias que elas têm acerca da amamentação.

“Há mulheres que, apesar de serem informadas, têm receio de dar o seio. É preciso abrir espaço para que sejam sinceras e falem de seus temores. A sensação de excitação, por exemplo, é normal. Quando elas ficam sabendo disso, se sentem mais tranqüilas. A amamentação deixa filho e mãe muito perto. Mulheres com dificuldade em se vincular podem enfrentar problemas.”

Durante a gravidez, freqüentar grupos de gestantes como os orientados por Eliana pode ser uma grande ajuda. Em alguns dos trabalhos, as mulheres andam pela sala olhando uma para outra, trocam massagens. “A idéia é deixá-las com o radar dos sentidos ligado. Elas percebem como é difícil esse contato com o outro e como superar isso.”

Amamentar demanda aprendizado, paciência, com o bebê e com você mesma. Não é só você que precisa aprender a amamentar. Para seu filho, mamar também é novidade. E vocês dois têm de descobrir a posição que dá mais certo, que não precisa ser a dos manuais para grávidas. Pode ser deitada, pode ser até de quatro… O que funcionar para a dupla. E, como em todo relacionamento, tem de ter um tempo para ganhar intimidade.

É difícil no começo, sim. Mesmo para quem já amamentou, cada filho é uma nova história.

Segundo a psicóloga especializada em mães e bebês Maiana Rappaport, mãe de Tamar, Yasmin e Taly, para poder amamentar, a mãe também tem de ser “amamentada”: precisa de cuidados, do apoio do marido, da família. Mãe e bebê não existem um sem o outro. E os dois não existem sem uma família. Maiana faz visitas domiciliares pós-parto. É uma outra ajuda para superar os primeiros obstáculos.

Agora, se não der mesmo para amamentar, respeite seus limites. Não é algo que se deva fazer obrigada, porque assim todo o prazer de que a gente falou até agora não acontece. E não é por isso que você vai deixar de se vincular a seu bebê. Use o momento da alimentação para estar perto dele: tire a blusa para que ele sinta sua pele, converse com ele. Dê você mesma a mamadeira, com todo o carinho. Essa hora é sua. “Não é o amamentar em si que fortalece o vínculo, mas como se faz isso”, diz Eliana. E cada um tem seu jeito. Você encontra.

Onde buscar ajuda

Banco de Leite Humano
Hospital Leonor Mendes de Barros.
Tel. (11) 6693-4736 blhleonor@ig.com.br

Amigas do Peito
Ajuda as mães naqueles momentos de emergência.
Tel. (21) 2285-7779 http://www.amigasdopeito.org.br

Guia Prático da Amamentação – Claire Martin
Ed. Campus: http://www.campus.com.br

Deixe uma resposta

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: